Promoção, Conhecimento e troca de Experiências

NOVO LIVRO: Gestão da Manutenção de Equipamentos, Instalações e Edifícios (3.ª Ed. atualizada e aumentada) Autor - José Paulo Saraiva Cabral

27-07-2013 21:40

 

 

Descrição

Como organizar e implementar um sistema de gestão da manutenção com apoio da informática é o tema deste livro.

Retomam-se os conceitos de manutenção cobertos na obra do mesmo autor, Organização e Gestão da Manutenção - dos conceitos à prática, também publicada pela Lidel, em 6ª Edição, aprofundando e desenvolvendo-se esses conceitos com base nas recentes normas ISO relativas a terminologia, indicadores de desempenho, contratos e documentos de manutenção, e enriquecendo-se com a grande experiência do autor como coordenador da implementação de soluções de organização da manutenção e formador.

A gestão da manutenção de edifícios foi nesta edição substancialmente aprofundada para responder às exigências que as regulamentações do RSECE e do SCIE colocam à gestão técnica dos edifícios nos importantes domínios da gestão energética, da qualidade do ar interior e da segurança contra incêndio.

Tudo numa perspetiva prática onde, partindo dos conceitos fundamentais, se passa pelas metodologias de implementação para chegar a verdadeiras soluções de gestão. Uma obra plena de oportunidade para qualquer interessado no tema da manutenção. Uma contribuição ótima para o desempenho competente da gestão de ativos fixos das empresas.

Livro segundo o novo Acordo Ortográfico

  •  
Conteúdos Topo
  • Introdução à gestão da manutenção
  • Terminologia, definições e conceitos
  • Indicadores de gestão da manutenção
  • Manutenção de edifícios
  • Organizar o sistema de gestão
  • Registo dos equipamentos e planos
  • Programação e gestão dos trabalhos
  • Norma de codificação de materiais
  • Gestão do armazém
  • Aprovisionamentos à manutenção
  • Controlo de custos de manutenção
  • Sistemas para hotéis e escritórios
  • Desenhos de fichas técnicas
  • Biblioteca de preparações padrão
 Público Alvo  
  • Gestores e Técnicos de Manutenção e Qualidade e Gestores da Produção
  • Responsáveis pelo armazém e pela logística dos materiais
  • Estudantes e Docentes da disciplina de Manutenção Industrial
 O(s) Autor(es)  

José Paulo Saraiva Cabral
Engenheiro naval pela University of Strathclyde, em Glasgow. Foi, durante anos, professor na Escola Náutica Infante D. Henrique. Fundador da empresa Navaltik Portugal em 1981. Interessou-se e acompanhou o despontar dos programas informáticos de gestão da manutenção há uma vintena de anos e desde essa altura que se dedica à consultoria e implementação de sistemas de gestão da manutenção e participa na equipa de desenvolvimento da aplicação especializada ManWinWin, já na sua quinta geração. Formador convidado da APIEF e de outras associações profissionais, conferencista e animador em colóquios relacionadas com a manutenção. Autor do livro Organização e Gestão da Manutenção - dos conceitos à prática, publicado pela Lidel.

Índice  

Capítulo I – Introdução à gestão da manutenção
1.1. A manutenção
1.2. A gestão
1.3. Gestão da manutenção
1.4. Custos de manutenção
1.5. Software de gestão da manutenção
1.6. Informática na manutenção e as modas
1.7. Requisitos legais e de qualidade
1.8. Objetivos e expetativas da gestão da manutenção
1.8.1. Alguns factos e números
1.9. Normas de manutenção
1.9.1. Norma da terminologia de manutenção EN 13306
1.9.2. Norma dos indicadores de manutenção EN 15341
1.9.3. Norma dos contratos de manutenção EN 13269
1.9.4. Norma da documentação de manutenção EN 13460
1.9.5. Outras normas de manutenção
Resumo do Capítulo

Capítulo II – Terminologia, definições e conceitos
2.1. Conceitos fundamentais
2.2. Termos relativos aos bens
2.2.1. Bem
2.2.2. Bem imobilizado
2.2.3. Consumíveis, sobressalentes e rotáveis
2.3. Propriedades dos bens
2.3.1. Disponibilidade
2.3.2. Fiabilidade
2.3.3. Manutibilidade
2.3.4. Vida útil
2.3.5. Taxa de avarias
2.4. Avarias e acontecimentos
2.4.1. Avaria
2.5. Estados de avaria e estado dos bens
2.5.1. Estados de indisponibilidade
2.5.2. Estados de disponibilidade
2.5.3. Outros estados dos bens
2.6. Tipos e estratégias de manutenção
2.6.1. Manutenção programada
2.6.2. Manutenção não programada
2.7. Atividades de manutenção
2.8. Termos relativos ao tempo
2.8.1. Tempo requerido
2.8.2. Tempo de funcionamento
2.8.3. Tempos de manutenção
2.8.4. Tempos de disponibilidade e de indisponibilidade
2.8.5. Outros tempos em manutenção
2.9. Logística e ferramentas de manutenção
2.10. Indicadores técnicos e económicos
2.11. Outros elementos de rigor na linguagem e na expressão
2.11.1. Avisos e observações de segurança
2.11.2. Graus de urgência
Resumo do Capítulo

Capítulo III – Indicadores de gestão da manutenção
3.1. Porque indicadores na gestão da manutenção?
3.2. Fatores para cálculo de indicadores
3.2.1. Fatores relacionados com o tempo
3.2.2. Fatores relacionados com esforço HH
3.2.3. Fatores relacionados com quantidades ou número de eventos
3.2.4. Fatores relacionados com custos
3.2.5. Fatores relacionados com valores
3.3. Tempos de funcionamento e contadores
3.3.1. Funcionamento entre datas com registos regulares
3.3.2. Funcionamento baseado em registos irregulares
3.3.3. Projeções de funcionamento
3.4. Indicadores teóricos de manutenção
3.4.1. Taxa de avarias
3.4.2. Tempo médio de calendário entre avarias
3.4.3. Tempo médio de funcionamento entre avarias, MTBF
3.4.4. Tempo médio de reparação, MTTR
3.4.5. Tempo médio de espera, MWT
3.4.6. Utilização prática dos indicadores teóricos de manutenção
3.5. Conceito das análises ABC
3.6. Indicadores normalizados de manutenção
3.6.1. Indicadores económicos (exemplos)
3.6.2. Indicadores técnicos (exemplos)
3.6.3. Exemplos de indicadores organizacionais
3.6.4. Fatores que intervêm nos indicadores
3.7. Analises gráficas evolutivas
3.7.1. Análise de acontecimentos
3.7.2. Análise de esforço
3.8. Análises de incidência
3.9. Em conclusão: que indicadores utilizar?
Resumo do Capítulo

Capítulo IV – Manutenção de edifícios
4.1. Requisitos legais e regulamentares na gestão de edifícios
4.1.1. Definições, abreviaturas e siglas
4.1.2. Requisitos RSECE relacionados com a manutenção
4.1.3. Boas práticas de gestão da manutenção
4.2. Objetivos de gestão e indicadores
4.2.1. Indicadores de desempenho
4.2.2. Quadro de bordo da gestão de um edifício
4.3. O sistema de gestão da manutenção
4.3.1. Cadastro do parque objeto de manutenção
4.3.2. Especialidades da área de intervenção técnica
4.3.3. Planos de manutenção e procedimentos
4.3.4. Histórico do trabalho
4.4. Monitorização de consumos e eficiência energética
4.4.1. Colheita de informação sobre consumos de energia
4.4.2. Quadro de análise energética
4.4.3. Previsão de custos de energia
4.4.4. Consumo de água
4.4.5. Analises ao consumo de água
4.5. Auditorias
4.5.1. Apreensão geral da organização antes da auditoria
4.5.2. Auditoria energética
4.5.3. Auditoria a QAI
Resumo do Capítulo

Capítulo V – Organizar o sistema de gestão
5.1. Elementos da empresa
5.1.1. Área de intervenção técnica
5.1.2. Custo HH
5.1.3. Pessoal
5.1.4. Fornecedores
5.2. Custeio
5.2.1. Centros de custo
5.2.2. Rubricas
5.3. Organização do parque de objetos de manutenção
5.3.1. Organização funcional
5.3.2. Norma de codificação dos objetos de manutenção
5.3.3. Famílias de equipamentos
5.4. Tipificação dos trabalhos de manutenção
5.5. Norma de codificação de materiais
5.6. Outros elementos da organização
Resumo do Capítulo

Capítulo VI – Registo dos equipamentos e planos
6.1. Conceitos associados aos bens
6.2. Registo de objetos de manutenção
6.3. Informação associada a um objeto de manutenção
6.3.1. Documentação técnica de manutenção
6.3.2. Associação de documentação técnica ao registo do objeto
6.3.3. Cenário operacional
6.3.4. Sobressalentes aplicáveis
6.4. Metodologia para preparação do plano de manutenção
6.5. Algumas questões praticas ao planear a manutenção
6.5.1. Descrição das tarefas na FMP
6.5.2. Previsões no planeamento
6.5.3. Quando não se dispõe de informação detalhada
6.5.4. Periodicidades da manutenção sistemática
6.5.5. Que trabalhos documentar
6.6. Biblioteca de preparações
6.7. Rotinas de inspeção tipo “passeio”
Resumo do Capítulo

Capítulo VII – Programação e gestão dos trabalhos
7.1. Definições
7.2. Gestão dos trabalhos
7.3. Trabalhos programados
7.3.1. OT sistemática
7.3.2. Rotina de inspeção tipo “passeio”
7.3.3. OT preventiva condicionada
7.4. Trabalhos não programados
7.4.1. Reparação
7.4.2. Reparação urgente
7.5. Sintomas, órgãos e causas das avarias
7.6. Pedidos a manutenção
7.7. Reportar o esforço de mão de obra
7.8. Reportar/imputar pecas e materiais utilizados
7.9. Registar outros recursos nos trabalhos
7.10. Reportar a realização e os tempos
7.11. Registos de funcionamento dos equipamentos
Resumo do Capítulo

Capítulo VIII – Norma de codificação de materiais
8.1. Definições
8.2. Requisitos da gestão dos materiais de manutenção
8.3. Norma de codificação de materiais
8.3.1. Classes
8.3.2. Famílias e subfamílias
8.3.3. Designações e informação associada aos artigos
8.4. Eleição dos artigos do ficheiro mestre
8.5. Consumo de materiais na manutenção
Resumo do Capítulo

Capítulo IX – Gestão do armazém
9.1. Definições
9.2. Funções da gestão do armazém
9.2.1. Operacionais
9.2.2. Gestão
9.3. Arrumação física
9.3.1. Localização dos artigos no armazém
9.3.2. Etiquetagem
9.4. Receção física de materiais
9.5. Entradas para armazém
9.6. Saídas de armazém
9.6.1. Processo normal
9.6.2. Saídas simplificadas um a um
9.7. Eleição dos artigos de armazém e definição de quantidades
9.8. Artigos recondicionados
9.9. Inventário
9.10. Informação e análises da gestão de stocks
Resumo do Capítulo

Capítulo X – Aprovisionamentos à manutenção
10.1. Definições
.2. Processo de encomenda
10.3. Fornecedores
10.4. Contratos de manutenção
10.4.1. Elementos gerais
10.4.2. Âmbito das tarefas
10.4.3. Disposições técnicas
10.4.4. Disposições comerciais
10.4.5. Disposições organizacionais
10.4.6. Disposições legais e jurídicas
10.4.7. Contratar fora ou fazermos nós?
10.5. Aprovisionamento de materiais
10.5.1. Quando encomendar
10.5.2. Que quantidade encomendar
10.5.3. Modalidades de fornecimento
Resumo do Capítulo

Capítulo XI – Controlo de custos de manutenção
11.1. Os custos da manutenção
11.1.1. Conceito normalizado do custo de manutenção
11.1.2. Custos invisíveis
11.2. Apuramento dos custos
11.2.1. Custos de mão de obra
11.2.2. Custos de materiais
11.2.3. Custo dos serviços
11.2.4. Custos de indisponibilidade
11.3. Orçamentos de manutenção
11.3.1. Estrutura de rubricas e centros de custo
11.3.2. Estimativas de custo para o orçamento
11.3.3. Estruturar o orçamento
11.3.4. Custear a manutenção
11.3.5. Relatórios do controlo orçamental
Resumo do Capítulo

Capítulo XII – Implementar a gestão em edifícios
12.1. Organização dos edifícios em sistemas
12.1.1. Vantagens da sistematização funcional
12.1.2. Grandes grupos
12.1.3. Subgrupos sistemáticos
12.1.4. Descrição dos sistemas
12.1.5. Regras para utilização da sistematização funcional
12.2. Exemplos típicos de organização
12.2.1. Edifício de escritórios
12.2.2. Campus universitário
12.2.3. Cadeia de hotéis
12.2.4. Sede de um banco e rede de agências
12.2.5. Prestador de serviços de manutenção
12.3. Planeamento e programação do projeto
12.4. Cadastro de objetos de manutenção e planos. Casos típicos
12.4.1. Edifício
12.4.2. Contador de visitantes
12.4.3. Contador de eletricidade
12.4.4. Extintores
12.4.5 Unidade de tratamento de ar (UTA)
Resumo do Capítulo

Apêndice I – Estrutura de sistemas para edifícios
Apêndice II – Desenhos de fichas técnicas
Apêndice III – Biblioteca de preparações padrão
Bibliografia
Índice de Figuras
Índice de Tabelas
Índice Remissivo

Procurar na página

Contacto

NOVA MORADA da APMI Travessa das Pedras Negras,
1 - 1.º Dto.
1100-404 LISBOA
Tel: 21 716 38 81
Fax: 21 716 22 59
Telemóvel 916 143 914
Telemóvel 962 992 200